Não vais acreditar no que esta mulher grávida deu à luz! Não era humano…

publicidade
No Zimbábue, um dos países mais pobres do mundo, esta mulher estava feliz da vida pelo filho que iria ter. Mas aos 5 meses de gravidez, ela entrou em trabalho de parto… só que o que saiu dela não era humano!
Estás pronto para ficar horrorizado? Uma mulher no Zimbabwe deu a luz à um verme de 38cm de comprimento, invés de uma criança. Anna Mbizi, de 38 anos, achou estar grávida de 5 meses quando de repente entrou em parto prematuro. E a “filha” dela veio surpreendendo todos.
Os médicos disseram que no começo da gravidez, tudo estava normal. Após o parto, o médico confirmou que em momento algum houve um bebé no ventre dela, e o estômago de Anna vinha a crescer por causa do terrível verme.
E o mais frustrante para a Srta. Mbizi é que os médicos afirmaram que “tudo estava bem com a gravidez” nos meses iniciais. Imagina o susto na hora que ela deu à luz algo que não era humano?
MOTHERSA mulher e seu “filho”
O namorado de Anna, que a abandonou após o ocorrido, disse que ela estava sentindo contrações desde o início do fim de semana. Foi aí que ela correu para a casa de banho e “pariu” o tal verme de 38cm.
Ao ser visitada por repórteres, ela estava sentada na sua sala segurando o que sobrou do “bebé”. Seguindo o conselho de um vizinho, Anna tomou até um banho de sal grosso para se livrar da “maldição” que gerou essa “criança”.
Ela suspeita que um vizinho (que lhe deve dinheiro) seja o responsável pela “magia negra” que fez com que isso acontecesse. A “mãe” ficou extremamente desapontada com o fato do namorado tê-la deixado ao descobrir que o bebê não era humano.
mulher_deu_a_luz_um_verme_2O “filho”
O mais bizarro disso tudo é que o verme estava instalado no útero da mulher, o que fez com que o corpo agisse como se ela estivesse grávida. Os médicos acreditam que a criatura seja um parasita que trocou DNA com a parede do útero. Assustador, hein?
E tu, o quê farias nesta situação?

Fonte Altamente

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *