Esposa escreve carta totalmente honesta para amante do marido

publicidade

Em uma emocionante carta escrita para a amante de seu marido, uma mulher australiana, que não quis se identificar, descreveu o primeiro momento em que acreditou que seu marido a estava traindo.

Ela disse que tudo começou no dia em que a amante “casualmente” pegou o celular do seu marido para tirar uma foto e digitou a senha secreta sem pestanejar.

Esposa escreve carta

“Eu fiquei enjoada. Eu não sabia a senha dele,” disse a esposa na carta, originalmente publicada no 9Honey. “Você não percebeu o que eu estava passando naquele momento ao flagrar a sua familiaridade exagerada.”

A esposa continuou descrevendo como seu marido passou, pouco a pouco, a criticar suas ideias, mesmo as relacionadas a tarefas simples, como compras no supermercado.

“Ele mencionou que você nunca comprava atum enlatado em água, já que a versão em óleo é muito mais saudável. Eu comecei a comprar atum em óleo,” disse a carta. “Um dia ele trouxe para casa três sacos de nozes e sementes ativadas que você havia comprado, e os jogou na minha despensa. No outro dia foram os muffins de mirtilos que você havia assado para a hora do lanche. Ele ressaltava o quanto você era amável e prestativa.”

A carta continua contando que um dia a esposa chegou ao estabelecimento comercial do casal após a escola, junto com seus dois filhos, e encontrou a amante “descalça” e usando “shorts minúsculos”, já que ela trabalhava no mesmo andar do escritório do seu marido. Em outra ocasião a esposa conta que viu a amante sorrindo e olhando para seu marido com um “olhar de cachorrinho” em um café.

“Você reservava hotéis e sugeria restaurantes para ele, e indicava salões de beleza para mim. Você fazia tranças no cabelo da minha filha e fazia cócegas no meu filho quando eu não estava lá,” disse ela na carta.

A carta aberta diz que a amante tinha uma “familiaridade exagerada” com o marido da mulher, sabendo inclusive a senha do seu celular. (Foto: Getty Images)

A esposa conta que o marido começou a chegar tarde em casa todas as noites, depois das 21 ou 22 horas.

“Eu ligava e ninguém atendia. Depois recebia uma mensagem curta: ‘chego em 5 minutos’. Eu me sentava e me perguntava o que poderia ser tão urgente na nossa pequena empresa para que ele não pudesse trabalhar de casa, no seu notebook, comigo ao seu lado. O que era tão importante para fazê-lo perder noite após noite com duas crianças maravilhosas tomando banhos de banheira e lendo contos de fadas?”

“Você era mais importante,” ela acusou na carta.

A carta conta ainda que a amante ficou mais audaciosa, e se tornou alguém que ouvia as “desgraças matrimoniais” de seu marido.

“Eu me tornei ansiosa, insegura, e entrei em pânico. Eu fiquei mais magra, mais loira, me tornei uma melhor cozinheira e uma mãe mais capaz… Mas nada, nada poderia mudar o olhar vago que ele tinha quando estava perto de mim.”

Ela disse que ficou paranoica com o pensamento de que sua família iria se desfazer e começou a monitorá-lo usando seu iPhone. Ela descobriu que ele realmente estava onde afirmava estar – no escritório. Ela ouviu de outras pessoas que estava agindo como louca e ciumenta, mas na verdade ela estava desesperada para salvar a sua família.

“No fundo eu estava solitária, mal-amada, emocionalmente exausta…”

Um dia seu marido lhe disse que “não queria mais viver daquela maneira” e que estava saindo de casa. A decisão foi comunicada após ele ter passado um longo dia celebrando um grande evento esportivo com a suposta amante.

“Ele disse que não me amava e que nunca poderia me amar novamente,” disse a carta. “Ele disse que apenas pessoas loucas e insanas monitoram seus parceiros usando seus celulares…”

Ela ouviu que apenas pessoas loucas monitoram seus parceiros pelo telefone. (Foto: Getty Images)

Quando a esposa confrontou a amante, ela só ouviu mais críticas.

A carta continua: “Você, que havia me tratado como uma intrusa no meu próprio relacionamento. Você disse: ‘Que história você inventou. Você é uma mulher muito fraca’ e depois perguntou cruelmente se eu havia esquecido de tomar minhas ‘pílulas da loucura’ naquela manhã.”

A esposa admite que não pode culpar somente a amante pelo colapso do seu relacionamento, já que o marido também estava completamente envolvido. No entanto, ela disse que a amante ainda não compreendeu a dor de duas crianças pequenas perguntando onde seu pai estava todas as noites.

A triste carta termina “… minha única vingança é a minha caneta e uma certeza profunda de que um dia você também vai passar pelo que eu passei. Um dia, talvez daqui a três ou dez anos, você estará sentada em casa com um jantar frio na sua frente e um copo de vinho na mão enquanto seus filhos estão dormindo, imaginando onde o seu marido pode estar.”

Nisean Lorde

Fonte Yahoo Canada Style

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *