AS 7 coisas simples que tu fazes no dia a dia e que podem gerar um cancro!

publicidade

Cancro é o nome dado a um conjunto bem grande de doenças (mais de 100) que são caracterizadas pelo crescimento irregular de células invasoras de tecidos e órgãos dos organismos.

Esse crescimento desordenado leva ao aparecimento de nódulos, massas ou tumores, que por sua vez podem ser malignos ou benignos.

Uma das características que transformam as células cancerígenas em doenças altamente perigosas são o seu rápido desenvolvimento, sendo altamente agressivas, podem tornar-se incontroláveis resultando em uma formação de tumores ou neoplasias malignas. Mas, como vimos, um tumor pode ser benigno e, esse, é formado por células que se multiplicaram lentamente e não passam de cópias do tecido original, pelo que raramente causam risco à vida.

Por se desenvolver a partir dos mais diferentes tipos de células do corpo, existem vários tipos de cancro, e são essas especificidades que dão nome ao cancro. Por exemplo, se a doença se inicia na pele (tecido epitelial) seu nome é Carcinoma. Se começa nos ossos, músculo ou cartilagem (tecidos conjuntivos) se chama Sarcoma. Existem, também, alguns tipos que não produzem tumores, mas circulam livremente pelo organismo, entre sangue e órgãos hematopoiéticos.

É importante citarmos que os cancros, também, se diferenciam pela velocidade de multiplicação das células e habilidade de invasão dos tecidos e órgãos, tanto próximos quanto distantes. Os tumores “mais fortes” tem a capacidade de se espalharem rapidamente e conseguem invadir os mais variados tipos de tecidos e órgãos.

Esses são chamados Metástases. São lesões tumorais que se formam derivando-se de outros, mas não tem continuidade entre elas; se formam apenas em tumores malignos. Uma observação importante é a de que nem todos os tumores malignos se comportam dessa maneira. Uma boa notícia é que Muitos tipos de cancro, hoje, já possuem cura, principalmente quando são diagnosticados em seu estágio inicial.

Os cancros podem ser causados por motivos internos ou externos ao organismo, mas normalmente essas causas estão relacionadas. Externamente, as causas são reflexo de hábitos ou costumes de um determinado ambiente sócio-cultural. Já as internas, são geneticamente pré-determinadas, fazendo com que o organismo não seja capaz de se defender das externas. Isso faz com que a probabilidade de uma célula normal se transformar em maligna cresça.

Os casos de cancro estão ligados, entre 80% e 90% das vezes, com o ambiente externo. Alguns são aqueles que mais conhecemos, como o cigarro, exposição em excesso ao Sol, e alguns vírus responsáveis pela Leucemia; também podem derivar de componentes presentes em alimentos sendo que, desses, a maioria ainda é desconhecida.

Com o passar do tempo os organismos envelhecem, o que faz com que as células mudem naturalmente, possibilitando a sua transformação em maligna. O fato de os cancros, teoricamente, serem mais comuns em pessoas idosas, é explicado por suas células terem sido expostas aos mais diversos factores, internos e externos, por mais tempo que as pessoas mais jovens.

Para que os cancros apareçam é preciso que as células estejam expostas tempo e em quantidade suficientes aos agentes causadores. Por exemplo, o cancro de Pulmão derivado, principalmente do cigarro, é equivalente ao número de cigarros que a pessoa fuma por dia, assim como o número de anos que ela tem fumado.

Sendo assim, seleccionamos uma lista com 7 coisas simples que fazes e que te pode gerar um cancro. Confira a lista e fique alerta:

1. Tabagismo

tabaco

Já foi comprovado por inúmeros estudos que fumar causa alguns tipos de cancro, como por exemplo os de Pulmão e Laringe.

2. Alimentos
alimentos

Os hábitos alimentares inadequados são a segunda maior causa de cancro que poderiam ser prevenidos. Alguns dos principais componentes que são responsáveis pelo aparecimento de cancro são os nitritos e nitratos usados para conservar e realçar o sabor de determinados alimentos industrializados, como por exemplo: presunto, salsicha, bacon, linguiça, etc.

Alguns alimentos como a carne salgada e peixes salgados, que são preservados no sal, podem influenciar no aparecimento de cancro de Estômago. Da mesma forma, o preparo dos alimentos também influenciam, como por exemplo fritar, grelhar ou preparar carnes em altas temperaturas podem reflectir em cancro de Estômago e Cólon-rectal.

3. Bebidas alcoólicas
álcool

O consumo de bebidas alcoólicas podem aumentar o risco de cancro de Cavidade Oral, Laringe, Faringe, Esófago, Fígado, Mama e Cólon-rectal, sendo esse último mais comum em homens. Além de várias outras disfunções como a violência, suicídio, acidentes de trânsito, dependência química, cirrose, pancreatite, demência, poli neuropatia, miocardite, desnutrição, hipertensão arterial e enfarte.

4. Relações

sex0

Tanto a vida sexual activa precocemente, quanto a variedade de parceiros, podem influenciar em cancro do Colo do Útero. O hábito sexual influencia na transmissão de vírus carcinogénicos. Sendo perigosos tanto para a mulher quanto para o homem.

Por exemplo, o HPV (Papilomavírus Humano) está relacionado ao cancro do Colo do Útero, bem como o HIV (Vírus de Imunodeficiência Humana) está a outros tipos de vírus, como o Citomegalovírus e os Herpevírus I e II, que podem colaborar para o surgimento de Sarcoma de Kaposi, cancro de Língua e Recto.

Os vírus HTLV-I está relacionado à Leucemias e Linfoma de Linfócitos T, e a Hepatite B ao cancro de Fígado.

5. Remédios
remédios

O principal grupo de medicamentos que podem colaborar com o aparecimento de cancro são os próprios remédios para a cura do mesmo. Apesar de num curto prazo os benefícios aparentem superar os riscos é importante observar os factores maléficos, causados pela utilização a longo prazo, desses medicamentos. Outros que também estão no mesmo ciclo são aqueles à base hormonas e os imunossupressores.

6. Radiação
radiação

Esse é um factor que já conhecemos, e apesar de não ser tão simples e quotidiano quanto parece, exames como Raios X, Tomografias, Mamografias, Radioterapia, Medicina Nuclear e Braquiterapia, são exemplos de agentes que contém radiação ionizante, responsável por alguns tipos de cancro, claro que dependendo da quantidade e tempo de exposição.

Alguns estudos e pesquisas com pessoas que sobreviveram às explosões das bombas atómicas, registaram que quanto maior a exposição à radiação maiores são as chances de obter um cancro Hematopoiético (medula óssea), Tiroidiano, Mamário e Ósseo.

7. Factores Ocupacionais
factores ocupacionais

Alguns locais de trabalho, por exemplo, faz com que os trabalhadores fiquem expostos à alguns tipos de agentes cancerígenos, mas não só no trabalho como na nossa vida quotidiana. A tabela acima relaciona alguns agentes com os seus, possíveis, respectivos tipos de cancro.

Esses são alguns factores simples, do dia a dia, que usamos como exemplos para mostrar como somos seres frágeis e estamos pré-dispostos a todo e qualquer tipo de cancro.

Fonte Altamente

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *